4 dicas para melhorar a escrita dos alunos!

Fevereiro é o mês laranja da educação! Neste mês, estou acompanhando o tema e me dedicando ao máximo para a leitura e a escrita. Contei em posts anteriores um pouco sobre leitura e agora acho que é hora da falar sobre a escrita também.

A leitura é uma incógnita por ser tão abstrato o processo de aprendizagem desta habilidade, já a leitura se torna às vezes uma incógnita porque são tantos detalhes para transformar a linguagem em escrita, que fica até difícil saber por onde começar.

Uma certeza que tenho, em relação à escrita, é que a base de escrita tem que ser bem estruturada. Esta base a que me refiro é que irá fornecer a estrutura para a vida escolar, mais à frente. Se o aluno se esforça e é bem estimulado em relação à escrita, outras áreas e habilidades da aprendizagem são também impactadas de modo positivo.

Selecionei quatro tópicos principais que considero importantes para que o aluno melhore na escrita, sendo dois mais de base e dois mais para desenvolvimento.

 

Imagine a frustração de um aluno que não consegue segurar apropriadamente um lápis! Tive um aluno, já no quinto ano, que segurava o lápis de uma maneira estranhamente estranha ( sim, para reforçar a estranheza, repeti o conceito ). Ele me confidenciou, quando fiz uma observação sobre o jeito dele pegar no lápis, que se sentia mal quando alguém perguntava. Embora ele escrevesse normalmente, colegas, professores, até estranhos, lhe questionavam sobre o modo como ele pegava no lápis.

Triste realidade é que vivemos um “buraco negro” na educação, numa época em que dizia-se que o “aluno tinha que descobrir como aprender”. Ainda bem que não sigo modinhas… em situações como a desse aluno que mencionei, certamente eu o ensinaria o modo correto de pegar no lápis, mesmo porque o lápis tem um tipo de “anatomia” que deve ser segurado de determinada forma pela mão humana. Ele foi projetado para isso, então por que motivo eu iria deixar o aluno aprender algo que já é fato? Isso, aliás, me lembra a cena do filme da Disney da Pequena Sereia ( a animação ), quando ela pega um garfo e penteia o cabelo.

Fato é que o aluno até se acostuma com a forma errada de pegar o lápis, mas de que forma poderia afetar sua escrita? Note que o impacto é grande, pois ele foge do senso neste caso. O ensinar a pegar no lápis faz parte de uma aprendizagem social, o lápis é projetado para ser segurado de uma determinada forma e levando em consideração os músculos usados no momento da escrita.

Muitos deixam de lado o treino da coordenação motora fina, mas na verdade deve ser estimulada desde cedo, porque é um primeiro passo para a confiança no momento da escrita. É a base da qual falei anteriormente, na introdução deste artigo.

Há uma porção de coisas que podemos fazer para ajudar a criança a melhorar a coordenação e segurar de modo mais firme e eficaz o lápis, desde bolinhas para estresse até brincar com brinquedos de barra no parquinho ou ainda brincadeiras que usam o movimento de puxar com dedos, bem como quebra-cabeças com pinos, que estimulam o uso de dedos em pinça para pegar as peças. Qualquer atividade motora estimula muito a coordenação e auxilia esta habilidade, tão importante para a escrita, especialmente quando associada ao movimento dos dedos, deixando-os mais ágeis e diminuindo a necessidade de atenção que a criança precisa no momento da escrita, quando segura o lápis.

 

Enquanto a criança aprende como segurar apropriadamente seu instrumento de escrita, ou seja, o lápis, outro item de escrita aparece em sua vida, não menos importante: o traçado. Traçar letras, números, formas de modo correto, do modo como devem ser traçados, constrói memórias nos músculos relacionados à escrita. O músculo de habitua ao modo do traçado e, aos poucos, isso aumenta a confiança da criança para traçar novas letras, números e formas. Por consequência, essa criança que aprendeu de modo correto irá ter maior prazer em aprender a escrever.

Quando o aluno estiver praticando a escrita, sempre preste atenção se está escrevendo as letras com o movimento correto. Se o aluno aprender a traçar incorretamente, terá maior dificuldade de consertar depois. Cito como exemplo o Artur, meu filho. Hoje, com 9 anos, temos dificuldade para que ele transforme seu número 4 em algo mais legível. Fato é que ele não teve orientação em relação aos números, na idade correta. Aprendeu sozinho a traçar e digo que às vezes o 4 dele parece um 9… Primeiro ele faz o bastão principal e depois a “cadeirinha” superior, mas meio arredondada. Dependendo de como traça, às vezes é possível confundir com o 9.  Infelizmente, não houve treino de traçado para ele com os números. O número 2 também era um problema, mas conseguimos corrigir. Com o 4 está sendo mais difícil… aliás, por esses detalhes é que às vezes ensino para ele coisinhas antes de ele aprender na escola… tenho receio de que ele carregue outros tipos de erros nos anos escolares.

 

No próprio site da loja, tenho um material que ajuda a aprender o traçado de letras bastão. Caso fique interessado, clique em https://janainaspolidorio.com.br/treinando-o-alfabeto.html

 

Caso esteja na fase da letra cursiva, tenho também algumas opções. Para ver detalhes, clique em https://janainaspolidorio.com.br/catalogsearch/result/?q=cursiva

 

 

Sabemos que a escrita precisa de muitíssimo treino e, principalmente, que ela é desenvolvida em cima de tantos detalhes, que fica até difícil escolher um para trabalhar. Mas é exatamente esse o ponto importante desta dica: não espere que seu aluno escreva corretamente logo de cara! O aluno deve ser encorajado a prestar maior atenção em um detalhe ou dois por vez, enquanto aprende a escrever.

Uma estratégia bacana e que sempre deu certo comigo é a da “Habilidade da Vez”. Durante uma semana inteira de aula, meu foco fica em uma habilidade de escrita específica e deixo os alunos saberem qual é. Converso com os alunos sobre ela, explico o que é e o que espero deles. É importante que o aluno saiba qual é seu objetivo para poder corresponder às expectativas de um modo melhor e mais justo.

Se vou trabalhar segmentação, logo na segunda-feira começo a aula explicando que alguns estão se distraindo e precisam prestar maior atenção nisso, então dou exemplos de erros e acertos, e várias atividades na semana com esse tipo de desenvolvimento de habilidade. Depois de praticar e prestar maior atenção a este detalhe, os alunos costumam ter menos erros desse tipo.

Veja algumas sugestões da loja com detalhes que você pode trabalhar com os alunos:

 

Tipos de frases é um conteúdo de extrema importância na escrita. Desenvolvendo melhor esse conteúdo, o aluno percebe melhor formas de manifestação da oralidade na escrita. Exclamar, interrogar, afirmar, negar fazem parte de nosso cotidiano e incorporar à escrita é importante!

Para ver detalhes desse material, clique na imagem ou no link https://janainaspolidorio.com.br/craque-no-portugues-mix-de-exercicios-volume-1.html

 

 

 

Outro ponto importante para a escrita e que os alunos costumam ter dúvidas é a pontuação. Tire uma semana para reforçar esta competência de uso tão necessária para a boa escrita!

 

Para ver detalhes deste material, clique na imagem ou no link https://janainaspolidorio.com.br/pontuac-o.html

 

 

Se o aluno não aprender corretamente a separação de sílabas no momento correto, ficará cada vez mais difícil aprender depois e temos vários itens em gramática que se relacionam com essa aprendizagem. Não é apenas aprender para separar palavras em um texto! Há classificação por sílaba tônica, que ajuda a aprender sobre regras de acentuação e muitos outros elementos relacionados ao tema.

Este item tem super importância na aprendizagem e para saber mais sobre o material que indico, clique na imagem ou no link https://janainaspolidorio.com.br/silabas-colec-o-craque-no-portugu-s.html

 

Claro que há uma porção de outros itens na loja que ajudam demais: verbos, pronomes, conjunções, adjetivos, aprendendo a formar frases, aprendizagem de gêneros, mas o importante é o enfoque limitado para um determinado ponto para que o aluno amplie, aos poucos, seus conhecimentos.

 

Para mim, em especial, nada mais frustrante do que não ter a oportunidade de demonstrar o quanto posso criar. Se me dão uma tarefa limitada, perco a motivação e isso acontece, certamente, com uma porção de alunos e ao longo dos anos se transforma em falta de vontade de escrever.

Já tive professores com os quais demonstrava toda minha habilidade de escrita, até criando além do pedido e outros que me limitavam, tiravam minha vontade de escrever, “castrando” minha criatividade.

Independente de qual habilidade esteja enfocando, seja pontuação, modos verbais, tipos de orações ( para os maiores ), promova o gosto pela escrita incentivando seu aluno a criar textos interessantes, que ele tenha orgulho de ter escrito. Não se limite a uma rotina de reescritas insossas, que só levam o aluno a repeteco de textos batidos ( foi forte…rsrsrs… mas nada pior para a criatividade e para tirar a vontade de escrever do que rotina e escrita de texto dos outros… ).

Abra em seu aluno uma “porta” de interesse para a escrita, proponha exercícios consistentes, bem estruturados, com bons exemplos e que ainda estimulem sua criatividade. Veja a seguir alguns exemplos da loja:

 

Este material usa como base dois contos diferentes: Gato de Botas e Cachinhos Dourados, mas a proposta não é apenas uma mera reescrita e sim uma seleção bem criativa de textos baseados nos contos.

 

Para ver mais detalhes, clique na imagem ou no link https://janainaspolidorio.com.br/propostas-prontas-para-produc-o-de-texto-gato-de-botas-e-cachinhos-dourados.html

 

 

 

Quer trabalhar com texto coletivo para aproveitar alguma habilidade específica, talvez? Não dê texto por texto, este material traz propostas diferenciadas de texto coletivo, que estimulam a criatividade e transformam o “manjado” texto coletivo em algo mais dinâmico, engajador e estruturado.

Para ver detalhes, clique na imagem ou no link https://janainaspolidorio.com.br/produzindo-textos-coletivos.html

 

 

 

Da série de como produzir textos de gêneros específicos, este de produção de artigos de opinião é fantástico! Nem sempre conseguimos nos expressar na escrita da forma como deveríamos, mas este material ensina, direitinho, e de modo bem estruturado, como fazê-lo.

 

Para ver mais detalhes, clique na imagem ou no link https://janainaspolidorio.com.br/como-produzir-um-bom-artigo-de-opini-o.html

 

 

Bem, espero que tenha gostado do artigo de hoje e até a próxima!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *