Cidadania DIGITAL

Atualmente, ouvimos muito falar no digital. A tecnologia avançou muito nos últimos anos e ela foi tão rápida, que não conseguimos ainda adaptar os currículos escolares. Há muito o que corrigir e acrescentar em nossos livros didáticos. Eles já estavam um pouco ultrapassados há uns dez anos… imagine agora.

Vivo praticamente em contato direto com a tecnologia e posso afirmar que na educação estamos há anos luz atrasados quando o assunto é tecnologia. Não falo, contudo, de aparelhos. Aparelhos são meras ferramentas. A tecnologia vai muito além disso. Ela deve estar no pensamento, na forma de agir, no proceder.

Poderia falar um vários assuntos diferentes e acho importante abordar vários, mas hoje vou tratar um pouco de Cidadania Digital. Para começar, preparei uma imagem bem bacana para que entenda melhor a importância de trabalhar com a CIDADANIA DIGITAL com seus alunos. Veja como ela afeta o indivíduo de várias maneiras!

cidadao-digital-fw

Assim como tudo na vida, a CIDADANIA DIGITAL deve ser ensinada. É algo delicado e nada mais é do que adaptar NORMAS de CIDADANIA para o DIGITAL. Assim como há muito o que dizer sobre a tecnologia, há também muito o que dizer sobre CIDADANIA DIGITAL, mas vou me ater ao mostrado pela imagem. Espero que seja bem útil tanto para usar com os alunos quanto com os filhos!

Muitas escolas proíbem o uso de aparelhos em aula e muitos professores se sentem desconfortáveis com ele, mas note que o uso pode ser benéfico, desde que o aluno saiba usar. Você pode, por exemplo, pedir uma pesquisa ou pedir para buscarem um vídeo sobre o assunto, tudo isso com propostas bem direcionadas ( tenho planos de fazer materiais específicos para esse uso no próximo ano ). É essencial que o aluno saiba que o aparelho deve ser usado dentro das PROPOSTA EDUCACIONAIS da aula e não fora deste contexto.

Para quem não sabe, faço aulas de MBA. Durante as aulas, quando os professores citam um livro, procuro no meu tablet o preço ou busco o resumo, caso me interesse. Quando pedem trabalho em grupo, usamos nossos aparelhos para já fazer anotações sobre o trabalho ou para buscar material de pesquisa. É muito útil e o aprendizado flui muito mais estruturado. É apenas uma questão de ajuste e de saber os limites de uso.

PROTEGER INFORMAÇÕES PESSOAIS parece ser básico, mas é importante salientar isso ao aluno. Pode ser que ele não tenha noção do perigo de comprar em qualquer site ou dar suas informações a um site desconhecido. É preciso saber que o site é idôneo para poder fornecer informações.

RESPEITO é fundamental. Antes de fazer comentários ou escrever algo na internet é preciso medir muito bem as palavras. Mesmo que o aluno não concorde com algo, não basta escrever “isso está um lixo” ou ” que porcaria”. Primeiro, porque demonstra que ele não é respeitoso. Além disso, pode trazer uma imagem negativa à pessoa. Aquele comentário ficará lá gravado por muito tempo e quando estiver à procura de um emprego, por exemplo, o empregador terá acesso a essa informação, podendo causar uma impressão errada do tipo de pessoa que é.

Nada de frio na barriga! CONTEÚDOS DIGITAIS são protegidos tanto em território nacional quanto em território internacional. É preciso ensinar os alunos a NÃO visitar sites que copiam coisas de outras pessoas e isso há aos montes na internet. Saber identificar sites que plagiam é importante. Cada vez mais os produtores de conteúdos estão de olho nos copiadores. Para fornecer conteúdo é preciso pagar caro, mas copiar é barato. Infelizmente esses sites existem, pois há quem os veja…

SITES SEGUROS são sites CONFIÁVEIS, que você sabe que realmente detém a autoria. SITES que usam imagens de autores conhecidos, como MAURÍCIO DE SOUZA, ZIRALDO, por exemplo, sem autorização por escrito, não possuem ética, se não possuem ética, certamente são clandestinos. Uso exemplo desses autores, pois são mais conhecidos. Certamente pode-se fazer uma menção ao autor, em uma matéria, mas nada de tornar isso a identidade do site. Usar textos de outras pessoas, mesmo dizendo a fonte, também não dá confiabilidade ao site, a menos que tenha sido compartilhado de forma regular, pelo link compartilhar mesmo, ou traga a informação de que o autor permitiu o reuso formalmente. Há vários sinais que mostram a confiabilidade de um site e dariam um artigo só sobre o assunto, mas basicamente é isso! Saber ensinar o aluno que não se deve copiar informações de outras pessoas, mesmo citando fonte ( não é trabalho escolar! só trabalhos escolares, de uso interno, possuem esse direito ).

CYBERBULLYING é algo sério. É importante trabalhar não somente o BULLYING na sala de aula, quanto o CYBERBULLYING. Muitas vezes ele fica no universo fechado de um grupo de amigos e pode ter consequências graves. Há diversas histórias de suicídio de menores na internet devido ao CYBERBULLYING. Por esse motivo, é um assunto importante para fazer parte de discussões em aula. Oriente os alunos sobre o que fazer em caso de CYBERBULLYING, sempre recomende que avisem um adulto, mesmo que não seja com ele, seja com um colega.

Bem, como disse anteriormente, são muitos os assuntos ligados ao tema, mas acho que basicamente consegui cobrir alguns. Espero que tenha gostado do artigo e fique de olho, pois em 2017 haverá ainda os materiais prontos para usar em sala de aula sobre o assunto!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *