Letramento DIGITAL

Vou começar diferente a postagem de hoje! Já que FEVEREIRO LARANJA é o mês da leitura e da escrita, leia as duas afirmações a seguir e diga qual é verdadeira e qual é falsa.

 

A verdade verdadeira é que ambas as afirmações são verdadeiras! Tanto pais quanto professores convivem, diariamente, ou têm contato, de alguma forma, com os benefícios e prejuízos da informação online das crianças. Enquanto as crianças são menores e os pais controlam, de alguma forma ( ou pelo menos deveriam controlar ) seu acesso à internet, até não é tão perigoso ou assustador. Nessa fase, é até uma distração para a criança. Quando a criança cresce e começa a receber tarefas que necessitam que ele ou ela façam buscas online, entrar na internet pode virar a “casa dos horrores”, pois além de a internet não ter, na maioria dos lares, o filtro ativado, e poder desvendar “portas” tortuosas e até sombrias aos alunos, eles descobrem que não sabem realmente usar a internet para a aprendizagem escolar.

      Não é raro ouvir que “meu filho mexe melhor no aparelho do que eu”, afinal de contas, a penúltima geração nascida já era chamada de “nativo digital”. A geração nascida a partir de 2007 já não tem nem essa separação de digital e real, para ela, tudo faz parte de um mundo só, muito mais profundo no conceito. A verdade é que ser “nativo digital” não garante que saiba mexer corretamente no digital. Você é “nativo eletricidade” e não quer dizer que saia mexendo “nativamente” nos fios de sua casa, mudando as instalações elétricas… e por que você não conseguiria mexer nos fios elétricos? Vamos pensar um pouco…

Claro! Você precisaria ter… orientações, estudar sobre COMO FAZER. A mesmíssima coisa acontece com as crianças. O fato de acessar bem a internet nos aparelhos ( você também mexe naturalmente nas tomadas, que trazem a energia da eletricidade para sua casa ) não quer dizer que saibam usar a internet com fins específicos. Eles usam de acordo com suas preferências e alguns com costumes péssimos, que fazem os aparelhos quebrarem mais rapidamente, diga-se de passagem.

E aqui eu chego no tema deste artigo: é preciso trabalhar, nas escolas, DESDE CEDO, o LETRAMENTO DIGITAL. Não precisa fazer careta ou já pensar que não é boa com coisas digitais. Ensinar letramento digital não exige vastos conhecimentos de digital. Exige o que nós, adultos, já sabemos fazer em relação a pesquisas, por exemplo, mas na esfera digital.

O LETRAMENTO DIGITAL deve ser ensinado. Não vou me aprofundar no assunto dos gêneros digitais por ser um primeiro artigo do Blog sobre o assunto, mas pode ser que eu volte a falar no assunto. Todos os professores ( e pais também, claro! ) devem estar atentos à navegação das crianças na internet, devem ensinar como navegar percebendo os prós e contras da rede. Não podemos supor que porque os alunos mexem bem em smartphones e sabem criar vídeos e mexer em redes sociais ( até melhor que muitos adultos ) eles saibam fazer pesquisas do modo certo, determinar viés da internet e avaliar sites. Além disso, quando tentam fazer isso sem orientação, estão, na verdade, recebendo orientação de quem está por trás dos sites e pensam que aquilo é correto. Isso pode ser perigoso.

 

Veja a seguir algumas dicas INICIAIS sobre LETRAMENTO DIGITAL:

 

Determine “boas indicações” de sites para as pesquisas que você pede. Quando pedimos pesquisa, não costumamos ( ou deveríamos, pelo menos ) indicar alguns livros bons para a pesquisa? Vale o mesmo para a internet. Você estará direcionando a bons sites e ensinando boas referências.

 

Prepare um tipo de pesquisa que mostre ao aluno exatamente o que procurar. Os sites trazem informações vastas e variadas. Não precisa ser nada muito complicado. No início, podem ser perguntas tipo questionários sobre o que procurar. Ajudará a filtrar as informações no momento da pesquisa.

 

Decida quais referências de site são permitidos. Eles podem, por exemplo, pesquisar na Wikipedia? Como a Wikipedia é um site colaborativo, muitos professores não gostam do resultado das pesquisas de lá, porque qualquer pessoa pode colaborar. Há quem prefira outras referências de sites de sua área.

 

Ensine os alunos a respeito de segurança na internet ( este é o viés que falei anteriormente ). Como determinar se um site é seguro? O que deve ter em um site seguro? O que fazer e não fazer nos sites?

 

Como seu aluno deve citar a fonte no trabalho? Citar fontes nos trabalhos é parte do ensinamento que temos que orientar. Ensine-os a citar fontes digitais em um formato padrão, para já aprenderem de uma única vez do modo certo.

 

Ensine os alunos a verificar se os fatos lidos são verdadeiros. Nós sabemos exatamente o que estamos ensinando, mas os alunos ainda estão aprendendo. Ensine-os a comparar informações, este é um trabalho riquíssimo de pesquisa que os ensina a validar informações. Além disso, sabemos que há muitos copiadores na internet. É preciso que os alunos aprendam a buscar na fonte da autoria e não incentivar copiadores baratos e desonestos. Aqui entra cidadania digital também!

 

Educação! Nenhuma interação digital está completa sem ensinar aos alunos sobre educação na internet. Saber como se comportar, o que comentar e o que não comentar quando interagir com um site, o que escrever e o que não escrever em uma postagem, por exemplo, do blog da turma, é essencial à escrita ( e leitura ) digital, ou seja, faz parte do LETRAMENTO DIGITAL.

 

Ensinar LETRAMENTO DIGITAL é um ato de raciocínio. Você ensina aos alunos habilidades do mundo real que são usadas na internet. Seus alunos não possuem as mesmas habilidades reais que você. A todo momento pesquisamos produtos, avaliamos serviços, compramos produtos, buscamos informações e sabemos fazer isso! Temos uma VIDA de habilidades do mundo real que transferimos para a internet quando precisamos. Elas também são partes importantes do LETRAMENTO DIGITAL, embora não pareçam, porque sabemos o COMO FAZER determinada busca ou como se comportar em determinada situação. Agora basta ensinar isso aos alunos!

 

Investir tempo em práticas sólidas de LETRAMENTO DIGITAL é essencial para o futuro de seus alunos, tanto quanto ensinar português e matemática. Os conteúdos são fatos e o uso da internet é procedimento. É o procedimento que irá permitir aos alunos que possam ter acesso a fatos em suas vidas.

Como expliquei, esta é só uma introdução ao LETRAMENTO DIGITAL. Há muito mais o que explorar. É um mundo a parte de possibilidades, empregos, tipos de pesquisa, leitura e escrita, TUDO enfim. Mesmo assim, espero que tenha gostado do artigo e que eu tenha proporcionado uma boa reflexão! Caso tenha alguma colocação a acrescentar ou algum pedido de novo artigo, use os comentários.

Até a próxima.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *