O clássico STEM da Rapunzel

STEM é algo interessante e que torna as aulas mais dinâmicas. Pode ainda ser usado para incrementar outras disciplinas, além das classicamente envolvidas ( ciências, tecnologia, engenharia e matemática ).

Temos o péssimo hábito de já nos opor a ideias novas. Quando se fala em STEM, só por conter o termo “tecnologia” vários professores já torcem o nariz, porque “na minha escola não tem recursos”. O mais interessante, é que tecnologia não precisa de recursos, na verdade. Imagine você que no século III a.C. ( veja que estou falando de ANTES DE CRISTO, então imagine a “tecnologia” que havia… ) o famoso Arquimedes mexia já com máquinas simples – alavanca, cunha, polia… – e não tinha dificuldade nenhuma.

Antes de dizer que não tem recursos, me diga se em sua escola não tem… tesoura, grampeador ou talvez até uma gangorra! Se a resposta é positiva, então você já pode, por exemplo, explicar para os alunos sobre o princípio da ALAVANCA, que é o mesmo da catapulta, muito usada ainda na Idade Média. Viu como não é difícil? Como eu disse, é mesmo o péssimo hábito de já torcer o nariz antes de usar que estimula o péssimo hábito de dizer que “nunca dá” para fazer nada na escola.

Outra “desculpa” poderia ser o tempo. Imagine, ficar fazendo STEM quando tenho que “ensinar”…. OI? Vamos lá! Muitos professores não reclamam que o aluno não está bom, que não aprende? Por que não tenta então uma coisa diferente? Afinal de contas, melhor tentar algo novo do que ficar na mesmice de o aluno não aprender. Garanto que só tem a ganhar, tanto o professor quanto ao aluno.

Se você nunca usou STEM, trouxe ideia para você usar com um tema fácil e que tomo mundo usa, em várias séries: CONTOS DE FADA. Chamei de desafio clássico, porque todo mundo que usa STEM alguma hora já passou por ele. Vamos usar o conto da RAPUNZEL.

Além das atividades comuns, de português, você pode propor alguns desafios aos alunos a partir do conto!

Você pode começar da TORRE. Veja abaixo algumas ideias para fazer!

Estimule os alunos, pedindo que construam torres. Os desafios de STEM partem sempre de um problema ou de uma questão. No caso da TORRE, que tal sermos mais simples e partirmos de questões?

Quem consegue fazer a TORRE mais alta com blocos de montar?

Quem consegue construir uma torre com palitos de dente e balinhas de gelatina?

Quem consegue construir uma torre com telhado a partir de recicláveis?

Vamos construir a TORRE da Rapunzel!

Você ainda pode, por exemplo, medir o tamanho das torres depois de prontas e os alunos anotam, comparando as medidas. Pode também pedir que escrevam um texto instrucional, ensinando como montar a torre que fizeram.

Construir a TORRE DA RAPUNZEL é necessário, para a próxima atividade!

Depois de construir a TORRE DA RAPUNZEL ( sugiro que seja em grupos ), você pode propor o desafio de SAÍDA DA TORRE para os alunos.

Sabemos que a bruxa prende Rapunzel em uma TORRE sem portas e que o único jeito de subir, de acordo com o conto, é pelos cabelos de Rapunzel.

No caso deste STEM, você tem dois desafios que podem resultar em produtos diferentes nos grupos: ou você pede para os alunos pensarem e construírem, na TORRE que fizeram, um mecanismo ou uma mudança para que Rapunzel possa sair ‘escondida’ da TORRE ou pede que façam um mecanismo que o príncipe poderia construir para tirar Rapunzel da TORRE.

Veja que bacana são estas opções! Você tem aqui mudança de foco na narração do STEM. Uma proposta é pela visão de Rapunzel e outra pelo príncipe.

No caso da Rapunzel, os alunos podem fazer escadarias internas secretas, tubos de escorregador para sair pela janela e tudo o mais que a imaginação puder criar. Se possível, sugiro que analise do ponto de vista do STEM o que eles criaram. Se foi, por exemplo, o escorregador, estão usando PLANO INCLINADO.

Se tiver dificuldade com MÁQUINAS SIMPLES, sugiro que antes de começar seus projetos de STEM você use meu LAPBOOK DE MÁQUINAS SIMPLES que está no site da loja! Ele trabalha de forma simples e poucos recursos os SEIS TIPOS DE MÁQUINAS SIMPLES que você vai usar “adoidado” durante as aulas de STEM. Clique na imagem a seguir para ver mais detalhes!

Voltando ao desafio, se for do ponto de vista do príncipe, garanto que saem coisas bem interessantes também! Há grupos que fazem catapultas, máquinas voadoras, escadas… tem do mais simples ao mais complexo, mas o mais importante é que você deixe os alunos pensarem nas soluções, só interferindo se pedirem ajuda ou se notar que precisam de algo.

Bacana também se puder pedir que desenhem o mecanismo e testem, explicando para a turma como funciona. Claro que máquinas voadoras, por exemplo, será em caso de hipótese, uma vez que sugiro este desafio como um dos primeiros de STEM quer fizer. Com o tempo, o próprio aluno perceberá que não pode criar mecanismos que não funcionam de verdade, que possuem só base hipotética, mas para primeiras experiências, quando você ainda está estimulando este tipo de pensamento, vale!

Você pode complementar o desafio, pedindo ainda que expliquem o funcionamento com um texto ou que montem cartazes para expor na escola, com soluções do desafio.

Posso garantir que é um trabalho muito enriquecedor e que você vai se surpreender com os resultados, com o interesse dos alunos e também com a aprendizagem fantástica que ele proporciona.

Espero que tenha gostado da dica de hoje! Até a próxima!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *