Para melhorar a PRODUÇÃO DE TEXTO!

Produção de texto é um contínuo na vida escolar. Produzimos os mais variados textos ao longo de nossa jornada escolar e não é uma tarefa muito fácil… a menos que o aluno tenha uma facilidade natural para escrever textos.

São muitos os requisitos para a boa escrita. É preciso se preocupar com estrutura do gênero, ortografia, coesão, coerência e um montão de outros detalhes.

Problemas à parte, pois cada um desses detalhes podem – e devem – ser trabalhados em algum momento separadamente, para fixar bem, é importante sempre dedicar uma vez na semana, ao menos, para desenvolver produção de texto.

Para ficar mais fácil, minha primeira sugestão seria mesmo fazer um projeto, mas não um projeto daqueles tipo temáticos, que têm um prazo tipo três meses. Seria algo mais para o semestre letivo mesmo, com rotina estabelecida e garantida semanalmente, com pelo menos uma hora e meia ou duas de dedicação.

Sei bem que projeto dá trabalho para montar, foi por isso que em 2.014, sabendo da importância de trabalhar produção de texto, acabei usando uma publicação mensal que eu fazia para fornecer, dentro da publicação, tudo já prontinho para o professor.

Não sei se você chegou a conhecer o universo “Por uma educação melhor!” nessa época, mas a proposta inicial era ser um “Netflix” da educação. O professor pagaria mensalmente e poderia baixar quantas e quais atividades quisesse. Infelizmente, a tecnologia não permitia tamanho avanço – pelo menos no Brasil. O jeito foi fazer uma publicação mensal. Era paga uma mensalidade e o professor podia fazer o download mensalmente da REVISTA DIGITAL, que tinha entre 120 e 300 páginas com atividades prontas, material para coordenação e coisa e tal.

PROJETO ESCRITOR NOTA 10      Elas hoje estão na loja virtual. São materiais excelentes e a edição de JULHO DE 2014 traz um projeto escrito chamado ESCRITOR  NOTA  10, já com as atividades introdutórias do projeto. A intenção era trabalhar mês a mês um projeto de escrita, desse jeitinho que eu sugeri.

O processo de se tornar um bom escritor de texto não é fácil, mas deve ser cultivado aos poucos, ano após ano, semestre após semestre, mês após mês. De nada adianta ficar nervoso porque o aluno ainda não escreve. Muitas vezes ele não teve o apoio necessário para saber o que é ser um bom escritor.

Por isso volto a dizer: deve ser uma ROTINA. De nada adianta estimular uma vez por mês. É muito melhor trabalhar uma ou duas atividades no mês, indo e voltando para melhorar a qualidade da atividade, revisando-a e deixando-a melhor, do que entregar uma folha e deixar pra lá o conteúdo, PROJETO ESCRITOR NOTA 10passando para a próxima. Infelizmente, isso é o que muitos fazem. Basta olhar essas atividades “de baciada” que aparecem na internet grátis e logo vemos a falta de qualidade que elas inspiram. Uma atividade que traz um enunciado curto e um montão de linhas, sem orientação nenhuma durante a atividade ou uma sequenciada explicativa de estrutura antes, venhamos e convenhamos… era ótima nos anos 80… atualmente é um veneno para criar bons escritores. Nova geração, novas necessidades.

Com toda a tecnologia, os alunos continuam capazes – e muito – de se tornarem bons produtores de texto. Não é porque temos tecnologia que não temos escrita. Precisamos de pessoas que sejam excelentes escritores. Veja na internet o grande número de pessoas que escrevem no mundo virtual. São notícias, blogs, tutoriais, wikis, e-mails, mensagens, postagens… tudo isso é escrito, da mesma forma que se escreve no que chamamos “mundo real”. Para nossos alunos, aliás, não tem distinção o virtual e o real. Tudo faz parte do mundo, igualmente. Desta forma, dizer que a tecnologia atrapalha não é inteiramente uma verdade. A falta de adaptação das atividades ao que vivemos, essa distância entre escola e realidade, é que atrapalham.

ESCRITOR 3         Atividades diretas, mas estruturadas é que estimulam o aluno a produzir texto. Em lugar das “atividades de baciada”, com uma linguicinha de texto e um montão de linhas, pouco visual, use estímulos visuais que mostrem o que exatamente o aluno deve fazer. Um bom produtor de texto precisa de bons exemplos. Nada de mostrar textos pobres para ele. Estimule com textos bem ricos, que deem vontade de ler. Traga para a sala de aula gêneros variados, mas quando trabalhar um gênero, em especial, trabalhe mostrando detalhe por detalhe, faça a diferença na vida de escritor de seu aluno!

O título da postagem foi “Para melhorar a PRODUÇÃO DE TEXTO” e dentro desse universo de melhoria há muuuuuitas dicas e sugestões para dar. Achei interessante estimular, em uma primeira postagem sobre o assunto, a ideia de trabalhar mesmo a produção bem trabalhada e como rotina. Poderia dar dicas e mais dica, planos mágicos e mirabolantes – e sei uma porção deles! – que trazem resultados rápidos, mas sem essa rotina e dedicação semanal fica difícil, pois se eu estudar o caso pelo lado da memória do aluno, de nada irá adiantar ter passos rápidos de entendimento se eles forem esquecidos.

O gradual e bem feito é sempre melhor! Espero que eu tenha conseguido convencer você a dedicar uma vez de sua semana à produção de um texto, nem que seja a produção de um único parágrafo, desde que bem escrito. Nada de atividadezinha de “baciada”. Se a atividade for bem feita, ainda que prefira fazer no caderno, dá muito mais resultado. Não “jogue” o tema e deixe o aluno se virar. Estimule os detalhes, são eles que irão treinar o aluno para se dedicar ao texto. Se você já trabalha dessa forma, está de PARABÉNS e seja sempre assim, empolgado e persistente na produção de textos de seus alunos!

Espero que tenha gostado do assunto de hoje! Se houver algum tema específico que queira ler aqui no blog sobre a produção de texto ou algum gênero que ache que devo escrever sobre, deixe nos comentários! Sem você dizer, não consigo saber! Até a próxima!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *