Tecnologia Educacional em tempos de Covid-19

Como nós professores podemos fazer uso dessa tecnologia a nosso favor?

Artigo escrito pela nossa colaboradora Cristiane Campos, professora, jornalista e especialista em Novas Tecnologias na Educação.

A experiência inesperada com a Covid-19 nos fez repensar, principalmente nós professores, sobre a maneira de atuar profissionalmente. A maioria dos profissionais passaram – de um dia para o outro – a trabalhar de casa e assim, estão conseguindo cumprir, se não toda, a maioria de seus compromissos. Graças à tecnologia o país não parou. Vendas passaram a ser feitas on-line, como também seus respectivos pagamentos.

Mas, como nós professores podemos fazer uso dessa tecnologia a nosso favor? Como ensinar a distância se essa é uma prática cuja presença é tão necessária? O primeiro fato a se considerar é que a educação a distância não é possível para todos. É fato que muitos alunos de famílias de baixa renda não têm acesso a internet, smartphones, tablets e computadores em suas casas. Sendo assim, o ensino a distância não beneficiará esses alunos e a defasagem deverá ser superada com a volta às aulas presenciais.

Outro caso a se considerar são as crianças menores que ainda não têm autonomia para realizarem atividades a distância. Nesse caso a intervenção dos responsáveis é imprescindível e a “didática” usada ao aplicar a atividade não será a mesma que a dos professores e não será igual com todas as crianças. Acontece que em um momento atípico como esse, tais atividades não visam substituir o que será realizado em sala de aula posteriormente, mas apenas manter uma rotina de estudos e minimizar o prejuízo, visto que não sabemos ao certo por quanto tempo ficaremos afastados da escola. Nesse caso, as atividades podem ser enviadas aos pais por e-mail ou até mesmo via whatsapp. Algo a considerar, contudo, no caso do envio por e-mail ou whatsapp é a AUTORIA das atividades, que deve ser do próprio professor e nunca de terceiros, pois pode implicar processos judiciais futuramente utilizar materiais indevidamente nesses casos.

Já em relação aos estudantes do Ensino Fundamental Ciclo 1 e Ciclo 2, e também do Ensino Médio, os professores podem optar por diferentes recursos desde que essa prática já exista no grupo. Ou seja, não é possível iniciar nenhuma prática de ensino a distância agora com muito sucesso, se isso nunca foi feito anteriormente. Sendo assim, vivemos mais que tudo, um momento de reflexão sobre nossa prática educativa, é hora de questionarmos – professores e escolas – se exploramos a tecnologia tanto quanto podemos e devemos explorá-la. Abaixo, seguem alguns recursos tecnológicos que podem e devem ser utilizados tanto nesse momento de isolamento social quanto quando voltarmos à rotina do ensino presencial.

  1. Youtube

O professor pode criar o hábito de gravar e postar vídeos no Youtube com certa frequência (uma vez por semana, a cada 15 dias ou até mesmo uma vez por mês) e cobrar alguma atividade a partir do que foi falado no vídeo. É importante que o professor aborde algo novo, que complemente e não apenas repita o que já foi falado em sala de aula. Não é necessário ter estúdio de gravação profissional para isso. Um ambiente claro e silencioso é propício para realizar uma gravação com a câmera do celular.

 

  1. E-mail e Whatsapp

E-mail e Whatsapp são formas simples de orientar os alunos à distância. Por esses canais é possível enviar arquivos para leitura e até mesmo atividades para serem impressas e resolvidas por escrito em casa. O professor também pode enviar as respostas por escrito ou fotos e, ainda, áudios explicativos. O essencial é lembrar que neste tipo de envio, as ATIVIDADES DEVEM SER DA AUTORIA DO PRÓPRIO PROFESSOR.

 

  1. Plataformas de aprendizagem on-line

Muitas escolas, inclusive públicas, fazem uso de plataformas de aprendizagem on-line. Existem várias plataformas gratuitas que podem ser acessadas por um e-mail e senha de qualquer lugar onde o aluno tenha acesso à internet. Essas plataformas permitem que o professor selecione as atividades que deseja que seus alunos realizem, o que proporciona um ensino personalizado. A correção é feita pela própria plataforma no momento em que o estudante finaliza cada desafio proposto e o professor pode acompanhar de sua casa o que cada aluno realizou e o desempenho que teve em cada atividade.

Sugestão de plataforma:

  1. Sala de Aula Google

A Sala de Aula Google é outro recurso possível de ser explorado por professores e alunos. Fácil de ser utilizado e eficaz no processo de ensino-aprendizagem à distância esse recurso tecnológico possibilita que o professor envie atividades aos seus alunos e corrija posteriormente, de forma totalmente on-line.

Acesse atividade gratuita e artigo sobre o assunto em https://professorajanainaspolidorio.com/gratis-aula-paperless/

 

  1. Fórum de Discussão

Outra opção é criar um fórum de discussão. Por meio desse fórum diversos assuntos podem ser discutidos, sempre tendo o professor como mediador. Esse espaço virtual permite a troca de experiências entre os estudantes e também o download de arquivos. O professor pode criar o hábito de lançar uma nova discussão no fórum por bimestre para criar o hábito entre os alunos.

 

Além dessas opções, o educador pode selecionar e enviar para seus alunos: podcasts, vídeos do Youtube e endereços de visitas virtuais a museus, por exemplo. As possibilidades são diversas, mas é preciso fazer uso, levar nossos alunos a criarem o hábito da interação virtual para a aprendizagem.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *