Textos curtos – INTERPRETAÇÃO NA PRÁTICA!

TEXTOS.BANNER.fw   Interpretar textos é algo que “pega” na escola. A cada novo ano parece que os alunos interpretam menos, compreendem menos, respondem menos aos estímulos de interpretação.

Para quem já viu minha apresentação, parte do problema se deve à demora na introdução da LETRA CURSIVA. Do ponto de vista neurológico, a letra cursiva auxilia a junção de informações, pois traz a base linguística de nossa língua, que é exatamente o fato da formação de letras unidas formando uma palavra. A palavra ( sem ser em letra de forma/ bastão, que não tem ligação de uma letra com outra ) é a base que identifica nosso idioma e outros de origem latina ou anglo-saxônica – coisa de quem cursou Letras e amava a matéria de Linguística.

Se ficou curioso e quer entender melhor sobre a influência da letra cursiva na INTERPRETAÇÃO, veja a apresentação do slideshare:

[slideshare id=52353453&doc=letracursiva-150902191425-lva1-app6891]

Bem, vamos ao que interessa! Prometi no título falar sobre INTERPRETAÇÃO NA PRÁTICA, mas achei legal começar com a letra cursiva, pois ela é exatamente o motivo pelo qual a PRÁTICA foi possível neste caso.

Este ano, terei como uma das novidades o PROJETO ARTUR. Para quem não sabe, Artur é meu filho, de 7 anos, que começou este ano o segundo ano do Fundamental. Acho insuficiente o que a escola aplica e pratico o HOMESCHOOLING com ele, embora ele frequente a escola regular. Em seu primeiro ano não foi introduzida a letra cursiva, mas como ele já é alfabetizado desde os 5 anos, não perdi tempo e  mantenho com o Artur, desde o ano passado, um caderno especial de caligrafia. Ele faz uma lição por dia e são lições variadas, para não ficar chato. Além disso, lição minha com ele é só com letra cursiva!

TEXTOS.1.fwNeste final de semana, fora do PROJETO ARTUR, resolvi dar para ele um dos materiais mais bem aceitos na loja: TEXTOS CURTOS. Lancei um título novo, de invenções, imprimi uma das atividades e pedi ao Artur que fizesse.

Infelizmente não filmei a leitura, mas foi fluente já na primeira lida e ele se divertiu muito com o texto, pois o tal do inventor do chuveiro tem um nome engraçado. Daí já vi que ele tinha entendido bem o texto.

TEXTOS.2.fwPara quem não conhece, o material traz um TEXTO CURTO, seguido de trabalho com vocabulário, interpretação e ainda expressão pictórica. Na foto acima, o Artur está na parte de vocabulário. Ele tinha que explicar com suas próprias palavras o que significava cada palavra, que era mencionada no texto, aprofundando o entendimento.

TEXTOS.3.fwNote na imagem mais próxima à folha, que ele já tinha preenchido “com suas próprias palavras” e em letra cursiva, a parte de vocabulário. Não sei se é possível ver totalmente, pois como ele usa o lápis, fica um pouco mais claro que caneta. Note que no VERÃO, por exemplo, ele mencionou “É uma estação quente”. Como está no começo do segundo ano, ele ainda cansa rápido com escritas longas, então ainda não exijo a frase super completa, mas este material é excelente, pois dependendo da série você pode aprofundar e pedir que o aluno detalhe mais as respostas.
Após o vocabulário, o material trabalha ainda com interpretação. Primeiro, o aluno deve informar qual parte do texto gostou mais. No caso, o Artur curtiu saber que os egípcios tomavam banho em uma tina – o que confirmou que ele lembrava do texto e sabia exatamente do que se tratava a questão. Ponto para o texto, que é curto, e o incentivo à interpretação da lição, que reforça o vocabulário – ele já tinha explicado o que era uma tina no vocabulário.

TEXTOS.4.fwPara finalizar o trabalho de SUPER INTERPRETAÇÃO, é pedido na terceira folha que o aluno leia as frases e anote se são verdadeiras ou falsas. De cara, bem onde pensei que o Artur iria cair na pegadinha, ao ler o nome do médico que inventou o chuveiro e a nacionalidade, virou para mim e declarou: “Claro que está errado! Ele era francês, não inglês!”. No caso, ele tinha mesmo prestado atenção na leitura e ele leu as duas vezes sugeridas pela lição, mas como o texto é curso, facilita muito que o aluno possa checar a informação no texto. Logo em seguida, o desenho no qual o aluno interpreta o texto com imagens. No caso, o Artur ilustrou as tinas usadas no Egito e a invenção do chuveiro na França.

TEXTOS.5.fwNote que este material tem um visual muito bonito e organizado, o que ajuda muito, pois as seções da lição são bem separadas. O aluno já consegue discernir vocabulário de interpretação e separar tudo isso do texto, que é a base da lição. Costumo colocar em um fichário as lições de HOMESCHOOLING do Artur, mas é possível guardar em pastas, se preferir.

 

Caso tenha ficado interessado no material, super recomendo mesmo! O link direto é: http://www.janainaspolidorio.com/textos-informativos-curtos-edicao-invencoes.html

Até a próxima!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *