O poder da CONSCIÊNCIA FONOLÓGICA!

Quem já usa, sabe como dá resultados e quem não usa, costuma ficar curioso sobre o assunto. A Consciência Fonológica se tornou uma necessidade e deve ser usada desde a Educação Infantil até os últimos anos do Fundamental I. Há tipos de atividades para todas as idades e se engana quem acha que ela é apenas para a alfabetização.

Caso é que o país, em geral, vê a alfabetização como um bicho de sete cabeças. É uma grande responsabilidade alfabetizar e alfabetizar direito, mais ainda. Desta forma, o enfoque acaba sendo na faixa etária de pré/ primeiro ano/ segundo ano. Posso garantir, contudo, que a Consciência Fonológica tem seus trunfos até mesmo para alunos de quinto ano… e com aplausos altos para os resultados.

Minha história com o assunto é antiga. Já usava mesmo antes de ela chegar ao Brasil, com maior força, na época em que ainda lecionava inglês. Quando chegou, ainda “mirradinha”, já fiz minha pós no assunto e isso faz quase uma década… uma década de uso bem usado mesmo.

Vamos ao que interessa! Veja alguns pontos importantes sobre ela:FAIXA 1.fw

 

 

 

Não se engane! A base da Consciência Fonológica é oral. O próprio nome já diz…FONOLÓGICA. Muitos professores acham que as lições devem ser, em sua maioria, escritas, e chegam a desprezar trabalhos mais orais. Fato é que o oral também tem sua importância, ainda mais se trabalhado com base em algo tão enriquecedor quanto a Consciência Fonológica.

A Consciência Fonológica ajuda a praticamente “dissecar” o idioma de todas as formas possíveis e imagináveis. Começa com o mais geral, que é o trabalho com rimas, considerado como primeira etapa do processo de uso da Consciência Fonológica, e passa, aos poucos e depois misturadinho, por aliteração, consciência de letra inicial/ final, consciência silábica, até chegar em consciência dos fonemas. Tudo isso oral! Há jogos que estimulam o trabalho e são bem interessantes também.

Imagine um aluno de quarto ou quinto anos que consegue dizer fonemas de uma palavra separadamente e ainda consegue trocá-los e destrocá-los com facilidade… ele arrasa em língua portuguesa, sem sombra de dúvida! Já vi acontecer e é simplesmente algo lindo!faixa 2.fw

 

 

 

Só porque é um trabalho oral nada impede de ter um apoio escrito também e super recomendo. A parte escrita, que irá apoiar o trabalho da Consciência Fonológica, ajuda a fixar o que foi trabalhado de uma forma extraordinária.

Como expliquei, a base é oral. É muito usada nos Estados Unidos e o inglês, de origem muito anglo-saxã, tem uma oralidade forte que faz parte do idioma. Nós, brasileiros, por usarmos o português, falamos uma língua de origem muito latina, portanto considerada uma língua quantitativa. A oralidade certamente aparece, mas em menor importância que o inglês, isso explicando o ponto de vista linguístico ( uma outra paixão que tenho ). O som correto do fonema, em inglês, é mais presente, por isso a Consciência Fonológica lá, nas terras do tio Sam, é mais forte e necessária.

Para nós, funcionam muito bem também, mesmo porque ao usar desenvolvemos um raciocínio linguístico incrível. Fato é que em português o uso de recursos de escrita é fundamental para um trabalho mais completo. Não apenas porque nossa língua é quantitativa, mas também porque temos uma defasagem grande educacional e cultural, falando franca e diretamente. Sei que não se aplica a todos, mas a triste realidade geral do país é essa.

É importante, contudo, que as atividades sejam feitas por um especialista em Consciência Fonológica. De nada adianta ter atividades que fazem volume em sua aula, se não possuem qualidade. É triste ver que alguns professores busca “qualquer coisa” na internet e até em livros, mas minha felicidade é saber que, se você está lendo esse meu artigo, não faz parte dos “buscadores de qualquer coisa”.

Tenho, por enquanto, quatro materiais interessantes no site da loja sobre o assunto e um quinto material está quase pronto! Para ver as opções, clique aqui!faixa 3.fw

 

 

 

O resultado com a Consciência Fonológica é algo surpreendente. Se trabalhada desde a Educação Infantil então, é um investimento de conhecimento que não tem preço!

Quando comecei a usar direto, há quase uma década, em minhas turmas, notei a diminuição drástica de alunos que trocavam letras. Não saberia nem dizer a última vez que um aluno meu trocou o p pelo b escrevendo algo. Sempre achei esse um dos pontos mais surpreendentes do trabalho.

A Consciência Fonológica tem um poder tão grande, que previne trocas fonéticas normais. Imagine o que faz com as trocas menos frequentes! E não é para menos, pois o aluno passa a ter consciência dos fonemas que pronuncia e, ao ter essa consciência, passa a prestar, de modo inconsciente, mais atenção às palavras na hora de escrever.faixa 4.fw

 

 

 

O uso de Consciência Fonológica tem uma ordem, para dar muito certo, quando usada em sala da aula com a turminha toda.

Cabe ao professor dosar o tanto de cada parte dessa ordem, mas o importante é fazer bem o que se propõe a fazer. Basicamente, começa-se com as atividades de rima, passa-se à aliteração e depois letra inicial/ final.

Depois, vem a parte que considero a mais vital de todas! São trabalhadas as letras que os alunos costumam trocar, mas a Consciência Fonológica é tão bem estruturada, que há uma ordem certa para fazer isso e é muito mágico quando feito nessa ordem.

O primeiro par de fonemas do trabalho é o F/V, que são as consoantes fricativas. Nada de ordem alfabética na Consciência Fonológica. A ordem aqui é lógica e para raciocínio linguístico.

Conforme o aluno se apropria dos pares de fonemas, trabalhados na ordem, ele mesmo percebe a importância do fonema e o trabalho fica quase que automático e cada vez mais rápido de se trabalhar. É impressionante o que o estímulo da Consciência Fonológica faz com esse raciocínio linguístico que mencionei.

Já o trabalho com consciência silábica é feito durante todo o trajeto e “dá um up” muito grande no avanço dos alunos também. Certamente há outros… recursos e estratégias durante o percurso, mas é muuuuito para falar em um artigo só!

faixa 5.fw

 

 

 

 

Se você ficou interessado ou se trabalha um pouco e quer ampliar os resultados, um bom começo são os vídeos que coloquei no YouTube ( e vou continuar colocando ) sobre o assunto.

O mais legal é que em alguns deles, inclusive, se você gostar da atividade, poderá tê-la e nos vídeo é que estão a explicação de como fazer. Além das estratégias e formas de uso da Consciência Fonológica, também há nos vídeos ideias para você usar junto com as atividades, o que tem se mostrado algo enriquecedor para os seguidores!

Acesse meu canal e assista as dicas, super preciosas! Se você se inscrever no Canal, sempre que houver um novo vídeo você será avisado, o que é mais bacana ainda, porque nem sempre o envio da atividade é válido para sempre, ele tem prazo e quanto antes você souber que tem vídeo novo, maior a probabilidade de ter atividades gratuitas, o que é bem bacana!

Para acessar meu canal YouTube clique em https://www.youtube.com/c/janainaspolidorio

 

Espero que tenha gostado do artigo de hoje! Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *